Skip to content

Mais um doutor no mundo

14/02/2010

Defendi sexta-feira, na UnB, meu doutorado em ciências da comunicação. Não há nota, apenas aprovação ou reprovação. Fui, claro, aprovado. A banca também resolveu, contra todo o bom senso, indicar a tese para publicação. Por isso, estou meio que impedido de postá-la para download, como planejava.

A defesa durou algumas horas. A banca foi amistosa, não apanhei muito. Enfim, tudo deu bastante certo.

Com isso chega ao fim um período de 4 anos no qual toda e qualquer atividade de lazer vinha acompanhada de pequenas – no início – dores de consciência. Tudo o que você faz passa por um escrutínio – as vezes rigoroso, as vezes não – do tempo. No meio de um filme, por exemplo, me assaltava o pensamento de que poderia estar lendo mais um texto ou escrevendo mais uma página.

Outra sensação bastante comum era a de adiamento. Fazer uma viagem? Calma, depois do doutorado. Comprar um apartamento? Depois do doutorado. Ter outro filho? Depois do doutorado. Tudo ficava adiado. Mesmo que eu não passasse um mísero segundo sequer trabalhando na tese, fazer qualquer outra coisa era trair o fim mais digno de se tornar doutor. Em certo sentido, era como se houvesse uma parede diante do meu futuro. Tudo se resumia a transpô-la o mais breve possível.

Agora que acabou sinto-me meio vazio, como se estivesse usando roupas muito maiores do que o meu número. Ainda sinto a tensão de que algo me espreita – a tese – e que minhas horas deveriam ser mais produtivas. Nada mais precisa ser adiado e, no entanto, não quero iniciar nada. Estou curtindo esse hiato entre o fim de alguma coisa importante e o início de outra, jogando videogame e dormindo.

Fazer um doutorado é algo intoxicante. Mal acabou e já sinto crises de abstinência.

O título, entretanto, ficou legal:

Prof. Dr. Daniel Christino.

Anúncios
7 Comentários
  1. Parabéns pela conquista. Pra mim, que estou começando, o doutorado pareçe tão distante, mas logo está aí também! O Brasil realmente precisa de mais doutores!

  2. Parabéns! Não sei se o Brasil precisa de mais doutores, mas certamente precisa de mais pensadores como você. Lembro do grupo de pesquisa do Signates, há cem milhões de anos, na Rádio Universitária, e o quanto suas considerações e explicações contribuíam para os debates!

  3. Parabéns Daniel! Eu espero um dia poder escrever um post semelhante.

  4. lisandro nogueira permalink

    Daniel,

    Jornada terminada. Parabéns!!

    Lisandro

  5. Parabéns, garoto! Libera logo o link com o pdf.
    Grande abraço

  6. carolina permalink

    Parabéns! Uma mera monografia me atormenta; não consigo imaginar o peso de uma tese. Aproveite o videogame como se não houvesse amanhã. 🙂

    Avise no blog quando for publicada – ou quando puder liberá-la para download. Adoraria lê-la.

  7. Daniel Christino permalink

    Amigos, agradeço bastante o carinho e as mensagens. Assim que efetuar as correções propostas pela banca dou um jeito de disponibilizar a tese.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: